terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Kylie, A Nova Joanne

Dancing
Kylie Minogue


Sempre é muito bom observar que artistas consagrados não têm medo de explorar novos territórios, fugindo do comodismo. Depois de sair da sua gravadora e assinar com uma nova, Kylie Minogue está preparando o lançamento do seu décimo quarto álbum (Golden) e se depender apenas do primeiro single teremos uma sonoridade novo na carreira da australiana. 

Dancing é, para a surpresa de muitos, a joanneficação da Kylie Minogue, isto é, a cantora resolveu apostar em uma sonoridade mais country pop. Isso mesmo, queridos amigos, Kylie deu uma de GaGa e colocou o chapéu de cowboy, apertou a fivela e pegou o chicote para ir para o rodeio pop. Ouvir a cantora assim é bem estranho, mas, assim como a GaGa, não chega a ser ruim e, sim, fora das expectativas que a gente tinha. A canção, porém, não é Kylie sendo Dolly Parton, mas quase a sua versão do que é country. Começando como um arranjo mais acústico, quase como uma baladinha country pop, para depois aumentar levemente a batida em uma fofinha eletropop/indie pop/country. Simpática e com uma composição sobre aproveitar a vida ao máximo. Não é a melhor coisa que a cantora já fez, mas é inofensiva e mostra a australiana em busca de novos desafios na música. 
nota: 6,5

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

A Garota Que Queria Ser Fodona

End Game (feat. Ed Sheeran & Future)
Taylor Swift

Escolhido como terceiro single de ReputationEnd Game é o tipo de canção que foi desenvolvida para ser um sucesso comercial. Entretanto, lançado no momento errado, a canção perdeu todo o impacto que poderia possuir se fosse o primeiro single. Mesmo assim, Taylor ainda consegue tirar um coelho da cartola na sua canção mais "urban" do álbum.

End Game é, assim como várias outras faixas do álbum, um verdadeiro morde e assopra em relação as "revelações" da cantora sobre ela mesma: enquanto a mesma assume a sua "grande reputação" e personalidade em relação a ex-amores, a cantora também está a procura de se dar bem com um cara com as mesmas características, revelando que ainda deseja encontrar o amor. Divertida e bem escrita, a composição não consegue manter o mesmo nível ao longo da canção como, por exemplo, o refrão mediano e astroclimático. Misturando pop e R&B em um arranjo cadenciado e bem marcante do começo ao fim, a produção Max Martin e Shellback não entrega o serviço completo, pois End Game não tem aquele momento de explosão e termina linear demais. A presença do rapper Future e do Ed Sheeran poderia afetar negativamente a canção, mas, felizmente, isso não acontece devido a posição dos versos de ambos e, também, as suas boas performances. Mesmo sendo uma fodona de butique, Taylor Swift parece que, ao menos, está se divertindo.
nota: 7

domingo, 21 de janeiro de 2018

As 100 Melhores Músicas Que Você Não Deve Conhecer

Nem sempre uma música escrita para ser algum tipo de hino social se torna um verdadeiro hino, mas, acreditem, existem dezenas de canções que viraram um hino sem ter a menor intenção. Lançada no momento certo, adotada por um ou mais grupos ou apenas a letra perfeita para aquela causa. Essas e muitas outras podem ser as razões para uma música virar um clássico atemporal de uma determinado grupo ou/e movimento. E hoje irei falar de uma dessas músicas, pois está na hora...

sábado, 20 de janeiro de 2018

New Faces Apresenta: H.E.R.

My Song
H.E.R.

Você provavelmente não deve conhecer a cantora H.E.R (nascida Gabriella 'Gabi' Wilson), não apenas pelo fato que a jovem ainda é uma ilustre desconhecida no meio musical, mas, também, devido a sua decisão de esconder a sua identidade, ressaltando a sua identidade musical assim com a Sia. Mesmo assim, a cantora é uma das possíveis próximas grandes estrelas do R&B como se pode perceber pelo ótimo single My Song.

Em quase seis minutos de canção, H.E.R. nos leva para uma rápida e poderosa viagem em uma das mais belas sensações que existe: a paixão. Lindamente escrita e de uma profundidade tocante, My Song é sobre abrir o coração e deixar ele ser inundado por esse sentimento, assim como uma onda invade a orla de uma praia em um dia de mar revolto. Assustador e, ao mesmo tempo, de uma beleza natural hipnótica que encontra perfeita tradução na delicada composição de My Song. Além disso, a cantora entrega uma performance com a mesma força emocional, mostrando um controle vocal absurdo e um timbre limpo e belo. Sonoramente, My Song é uma balada R&B/pop no esquema "balada de piano" que já é quase um clichê, mas que aqui é feito com uma elegância impecável. Apesar de não querer ser revelar como pessoa, H.E.R. precisa ser conhecida pelo o que é de verdade: um talento em estado bruto.
nota: 8

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Quanto Mais Melhor

IDGAF
Dua Lipa

Normalmente, um álbum pop tem no máximo cinco singles lançados durante toda a sua vida "útil", sendo um ou dois antes do lançamento e, depois, cerca de dois ou três escolhidos. De tempos em tempos, porém, surge um álbum que passa essa marca para aproveitar o hype do sucesso dos antecessores e, também, do álbum. Todavia, o caso da Dua Lipa é ainda mais raro, pois, além de aproveitar o embalo de New Rules, o debut álbum da cantora é uma verdadeira máquina de possível hits. E a escolha para sétimo single dele não poderia ser melhor que IDGAF.

IDGAF é uma sucessora de New Rules à altura em todos os sentidos. Primeiro, a canção é uma continuação da temática da anterior, pois, depois de aprender a como resistir o boy lixo ao criar as novas regras, Dua Lipa agora está completamente empoderada e manda o trate passear com vontade em uma composição divertidíssima, inteligente e com uma empatia que encontra reflexo em qualquer pessoa que já passou pela mesma situação. Em segundo, IDGAF é uma canção que, apesar de ser pop do começo ao fim, consegue viciar ao quebrar expectativas na sua construção, sendo elevada pela dramática e marcante batida de tambores nas partes centrais da canção. Além disso, a cantora se solidifica ainda mais com sendo uma das vozes mais marcantes do atual pop em uma performance efervescente e contagiosa. Mesmo sendo o sétimo single, Dua Lipa está longe de esgotar o seu álbum e, ao que parece, a criatividade ainda continua a mil como mostra o clipe lançado da música.
nota: 7,5

Uma Chance Para Carrie

The Champion (feat. Ludacris)
Carrie Underwood

Mesmo sendo uma dos maiores nomes do country contemporâneo e, também, de ex-participantes de reality musical, Carrie Underwood poucas vezes alcançou o topo geral da Billboard. De todos os seus singles lançados até o momento, sendo apenas quatro deles top 10 na Billboard (Inside Your Heaven, canção da coroação do American Idol, foi primeiro lugar em um já longínquo 2005). Começando 2018, Carrie pode ter uma nova chance de alcançar o topo com o lançamento de The Champion, música feita para ser o tema do Super Bowl em uma TV americana.


Lançada alguns dias, a canção está no topo do iTunes desde então e, provavelmente, deverá ter uma trajetória de sucesso. Muito disso vem do fato que a canção sai completamente do nicho que a Carrie se firmou: The Champion é puramente pop, ficando bem longe do country. Nada de errado nisso, pois acredito que a cantora não irá se enveredar de vez, mas é um pouco triste ver que um talento do tamanho dela precise se massificar para ser reconhecida fora do "seu mundo". Felizmente, Carrie é tão talentosa que domina a canção com a mesma garra que a já mostrou anteriormente, mesmo que a sua voz ou/e a produção vocal esteja estranha, podendo ser resultado das dezenas de pontos que ela teve que dar no rosto após um acidente. Uma pena, porém, que The Champion seja liricamente e sonoramente tão clichê em cima de clichê com a sua batida grudenta e a sua composição de auto-ajuda. Claro, essas características ajudam a canção a se tornar comercial, além da presença do rapper Ludacris como a cereja em cima do bolo. De qualquer maneira, a canção é a chance para colocar Carrie no seu lugar devido, bem no topo do topo.
nota: 6

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Antes Tarde do Que Nunca - Votação

Começando 2018, resolvi fazer o Antes Tarde do Que Nunca um pouco diferente ao pedir para vocês decidirem quais serão os próximos álbuns que iram passar por aqui. É necessário dizer que todos serão feitos, mas a ordem é vocês que escolhem. Para o próximo Antes Tarde do Que Nunca, qual será o preferido por vocês? (A votação vai estar aqui do lado. Votem!)


Antes Tarde do Que Nunca - Grandes Álbuns dos Anos '00

American Idiot
Green Day


terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Os Melhores de 2017

Apesar de um pouco atrasado, chegou a hora de revelar quais foram os escolhidos como os Melhores de 2017 em várias categorias como a de Artista, Single e Revelação do Ano escolhidos por vocês. Espero que gostem!